Resenha Crítica

OLIVEIRA, I. O ensino de projeto na graduação em design no Brasil: o discurso da prática pedagógica. 2009. Tese (Doutorado em Design) – Departamento de Artes & Design/PUC-Rio, Rio de Janeiro, 2009.

 

Izabel Maria de Oliveira, é professora adjunta do Departamento de Artes e Design da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, onde já atuou como supervisora das disciplinas de Projeto de Comunicação Visual e, atualmente, é supervisora da habilitação de Comunicação Visual na graduaçãoem Design. Sua experiência docente de mais de 15 anos nesta instituição, aliada às pesquisas desenvolvidas em nível de mestrado e de doutorado lhe credenciam para tratar do tema do ensino de projeto em design tanto pelo viés prático como pelo viés teórico.

A tese investiga o discurso pedagógico de diferentes professores acerca do ensino da disciplina de projeto e propõe uma reflexão crítica sobre o currículo e a pedagogia do design. A autora identifica a importância da disciplina de projeto a partir da instalação da primeira instituição de ensino superior de design no Brasil, que serviu de matriz para a constituição de novos cursos mediante a implantação do Currículo Mínimo e levou à constituição da noção de projeto como “espinha dorsal” ou eixo curricular dos cursos de design no país. Em seguida, desenvolve sua análise a partir de uma perspectiva crítica. Nesse sentido, o estudo pretende apresentar um panorama sobre o ensino de projeto em design e identificar e analisar aspectos dos discursos construídos pela prática pedagógica no contexto atual.

A estrutura da tese é apresentada em seis capítulos: introdução; o ensino de design no Brasil; o ensino de projeto em design, a pesquisa de campo; o discurso da prática pedagógica e conclusão. Na introdução, Oliveira discute as influências do ensino de design no Brasil, as mudanças que ocorreram e os novos desafios impostos pela implementação das Novas Diretrizes Curriculares Nacionais – LDB 9.394/96, que garantem maior autonomia às instituições de ensino para estabelecerem seus projetos pedagógicos e currículos dos cursos de graduação. Em seguida discute-se o discurso como reflexo da prática pedagógica e as contribuições que as teorias críticas e pós-criticas oferecem para a análise pedagógica. Na sequência são apresentadas as diferentes partes que compõem a tese.

No segundo capítulo, a autora discorre sobre a transposição do currículo da Hochscule für Gestaltung de Ulm para a Escola Superior de Desenho Industrial, identifica os principais aspectos deste ensino que expressa uma noção particular de conhecimento.  Na sequência, Oliveira apresenta a maneira como o currículo e o projeto pedagógico foi reproduzido por outras instituições em contraste entre os paradigmas estabelecidos pelo Ministério da Educação: o Currículo Mínimo e as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais.

No terceiro capítulo, a reflexão está centrada no ensino do projeto e sua importância pedagógica e curricular. Neste capítulo, Oliveira discorre sobre a formação do conceito de projeto como “espinha dorsal” e sobre o papel do processo projetual na pedagogia do design. Finalmente, a autora aborda as relações entre teoria e prática, segundo as ideias de John Dewey e Donald Schön.

No quarto capítulo são apresentados os critérios empregados na pesquisa, a delimitação de seu escopo e o detalhamento dos parâmetros do método utilizado. A pesquisa partiu de entrevistas presenciais com professores de projeto com formação superior em design e pós-graduados. O perfil dos entrevistados demandava experiência profissional com a prática de projeto e com o ensino da disciplina e que atuassem no Rio de Janeiro, São Paulo ou Minas Gerais. A análise adotou os parâmetros estabelecidos pelo do Método de Explicitação do Discurso Subjacente, de Nicolaci-da-Costa.

No quinto capítulo, são apresentados os discursos recolhidos, analisados segundo as categorias que emergiram segundo o método empregado. Primeiramente, a autora expõe a maneira como realizou a análise e estabeleceu as categorias. Posteriormente, ela analisa os discursos organizados segundo as categorias que surgiram na comparação entre eles. A análise evidencia algumas preocupações dos professores com o ensino de projeto, as diferentes concepções de conhecimento e falta de critérios claros para a cognição e a pedagogia do design.

Na conclusão, a autora destaca a diferença entre método projetual e método de ensino de projeto, assim como destaca três pontos a serem aprofundados relativos à epistemologia voltada ao ensino de design; à capacitação dos professores e à mercantilização do ensino. Por fim, Oliveira defende a reflexão crítica da prática pedagógica, de modo sistematizado e permanente e contempla a perspectiva de uma linha de pesquisa que venha aprofundar os estudos nesta área

A tese apresenta os argumentos mediante um desencadeamento lógico dos capítulos que auxiliam a compreensão da argumentação. Primeiramente, expõe a maneira como se consolidou a disciplina de projeto no currículo de design, em seguida discursa sobre os papeis que o projeto desempenha em relação à pedagogia e à cognição no design para, enfim, refletir sobre estas práticas a partir dos discursos dos professores.  O texto é claro, evidenciando tanto as escolhas metodológicas, quanto o ponto de vista da autora, especialmente sua visão sobre conhecimento e o entendimento do projeto como um dos aspectos característicos da cognição no design.

Além da autoridade relacionada à experiência docente da autora e da clareza quanto à perspectiva sob a qual defende sua argumentação, a tese também possui o mérito de apresentar discursos de outros professores que são, por vezes, contraditórios entre si ou mesmo em relação ao ponto de vista da autora. Nesse sentido, a análise realizada contempla a diversidade de olhares sobre o tema abordado e, embora defina o posicionamento da pesquisadora, também garante um olhar panorâmico sobre o tema, em consonância com os objetivos da pesquisa. Soma-se a isso a contribuição que a autora apresenta ao campo ao situar as origens do ensino do design no Brasil e a defender a uma reflexão acerca do discurso pedagógico, do currículo e de uma epistemologia do ensino de design. Por esses motivos, recomenda-se a leitura da tese, em especial aos leitores e pesquisadores interessados nos temas da educação em design, epistemologia do design, história do ensino no design, além dos interesses específicos na metodologia e no entendimento do papel do projeto para a formação dos designers.

Ricardo Artur Pereira Carvalho é Doutor e Mestre em Design pela PUC-Rio, participa do Núcleo de Estudos do Design na Leitura e do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar Design e Formação de Leitores em Contextos Culturais e Pedagógicos.